Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tenho um sonho: aprender renda de bilros

Domingo, 14.09.08

Sobre a almofada, nos bilros,

curtidas mãos exercitam

líquida paciência.

Os bilros têm sons de infância

As mãos avultam, tranquilas,

no alegre bater dos bilros.

Mãos e bilros, mãos e bilros

de um fundo a outro do abismo

tecendo a renda do tempo

(Anderson Braga Horta)

 

 

Desde muito nova que admiro as rendilheiras da Póvoa de Varzim e de Peniche, que em movimentos sincronizados e a grande velocidade, vão desenhando com a linha motivos lindíssimos nas almofadas. Desde muito nova que sou fascinada pelas rendas de bilros, mas, infelizmente, nunca conheci ninguém que me pudesse ensinar os seus segredos. E na região ou vivo (Grande Lisboa) também não conheço escolas com estes cursos. Mas não desisto do meu sonho. Nem que um destes dias tenha que partir para Peniche ou Vila do Conde à procura de quem me inicie nesta nobre arte. Já pararam para admirar as peças feitas em rendas de bilros? São autênticas preciosidades!

 

Web Informer Button

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

De Teresa Pimenta a 15.10.2014 às 08:55

Ola
só agora vi o seu texto e fiquei triste por ter mais uma confirmação de que não há professores suficientes para ensinar esta arte mas, feliz por haver sempre alguém que quer aprender. Sou professora em Vila do Conde e o meu maior prazer é ensinar tudo o que sei. Tenho alunas que vêm de todo o lado para aprender e tenho uma aluna muito especial precisamente de Lisboa com 76 anos de idade que de 6 em 6 meses vem a minha casa. Claro que neste caso já passou à muito de professor aluno para grandes amigas.
É por isso que aqui deixo estas linhas para lhe dizer que ainda há quem queira ensinar tudo o que sabe sem tabus ou dificuldades. Pode contactar-me pelo meu facebook em Teresa Pimenta ou, renda de bilros/escola.
Fico a aguardar o seu contacto


Um abraço rendilhado
Teresa Pimenta

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 





comentários recentes